Vai alugar uma sala comercial para consultório odontológico? Saiba como escolher a melhor opção

Vai alugar uma sala comercial para consultório odontológico? Saiba como escolher a melhor opção

Quem deseja alugar uma sala comercial para iniciar o atendimento odontológico, muitas vezes pode ter algumas dúvidas de como fazer para iniciar esse procedimento todo. Afinal, envolve uma série de itens que, de repente, podem deixar muita gente na dúvida, especialmente recém-formados que estão passando pela primeira experiência de montar um consultório.

Pensando nisso, resolvemos escrever este post para ajudar a esclarecer estas dúvidas, uma vez que, quando se inicia um novo empreendimento, o ideal é analisar todas as opções disponíveis.

Acompanhe abaixo algumas dicas interessantes para te ajudar na hora dessa busca e saiba como escolher a melhor opção para você, seus pacientes e, principalmente, seu bolso!

1. Ponto de partida: faça o planejamento de custos

Pesquise o valor do imóvel que poderia arcar, além do bairro aonde deseja abrir seu consultório. Se você busca por uma sala comercial em Itaim Bibi, mas não tem condições de iniciar num bairro nobre, pense na possibilidade de escolher um local não muito distante. Às vezes, poucas quadras de distância podem garantir uma economia bastante significativa para seu bolso.

Além do mais, veja o quanto de tempo e de gasto com deslocamento terá para ir e retornar do trabalho, percebendo também como seria para fazer a conciliação de sua agenda. Lembre-se que, diferentemente de um ponto comercial comum, a abertura de um consultório odontológico requer a instalação de alguns equipamentos e móveis especiais para realizar o atendimento de seus pacientes, além de muitas vezes ser necessária uma sala de espera.

Por isso, coloque tudo na ponta do lápis e faça uma planilha anual contemplando custos de: aluguel, condomínio, luz, telefone/celular, internet, secretária, diarista, deslocamento, alimentação, garagem, contador, mobília, equipamentos, fornecedores de materiais odontológicos em geral, além de custos com material de publicidade e marketing – você precisará disso para ficar conhecido!

Preveja também possíveis gastos com alguma decoração, pintura, reforma e reestruturação do imóvel, pois isso pode acontecer. Leve em consideração todos os aspectos que podem impactar no crescimento da sua marca, analisando se o imóvel em questão permitirá expansão quando houver necessidade de se ampliar o seu consultório no futuro.

Defina previamente se você gostaria de ter um possível sócio ou se será o único profissional atendendo no local. Isso vai influenciar diretamente no tamanho do imóvel e, às vezes, pode ser uma solução inteligente para dividir custos iniciais.

Por exemplo, se você mora em São Paulo e está pesquisando uma sala comercial para alugar na Vila Madalena, verifique todos os recursos que ela possui. Faça uma previsão de orçamento para cumprir com as despesas de aluguel em dia, verificando também o quanto gastará com mobiliário e equipamentos, além do fato de se precisará de uma secretária, de garagem para você e seus pacientes, dentre outros aspectos que envolvem a locação de um imóvel. No balanço geral, tenha em foco que você não pode gastar mais do que prevê receber.

Lembre-se que, a partir dos primeiros meses da abertura do seu consultório, é preciso ter um bom capital de giro para arcar com as suas despesas e manter seu negócio aberto. Por essa razão, muitas vezes alugar é a melhor alternativa a ter que comprar um espaço próprio, que despenderia muito mais custos.

2. Faça o planejamento do seu público-alvo

Tão importante quanto saber quanto será investido em seu novo consultório, é preciso saber para quem será investido! Portanto, analise qual será o seu público-alvo e planeje o quanto pretende ganhar de dinheiro mensalmente. Vislumbre todas as possibilidades de lucro tendo um plano de ação bem focado, lembrando-se que, pelo menos nos 6 primeiros meses iniciais, você trabalhará mais para pagar o investimento do que para ter lucratividade! Portanto, esteja muito bem precavido!

Além do mais, verifique se há concorrência na região, buscando entender seus pontos fortes e fracos. Explore um diferencial e oferece aos seus futuros clientes um atendimento de qualidade.

Neste quesito, a propaganda boca-a-boca será uma importante ferramenta à sua disposição.

3. Escolha pela melhor solução de aluguel para seu bolso

Busque por prédios com boa aparência, para dar uma boa impressão aos pacientes. Lembre-se que o trabalho odontológico envolve conceitos de saúde. Portanto, um local bem higienizado, com uma fachada bonita e boa estrutura sempre será um bom cartão de visitas. Preze por outros adicionais importantes, como um local de fácil acesso, que tenha elevador, estacionamento e segurança eletrônica (se tiver portaria, melhor ainda, mas isso pode afetar no valor do seu condomínio, fique atento!).

Caso você prefira um imóvel de rua, como uma casa, busque por locação de espaços de saúde que já possuam alvará e uma estrutura especializada para montar seu consultório. Dependendo do custo, essa alternativa pode reduzir significativamente os gastos “do zero”, fazendo com que você tenha um pouco mais de fôlego financeiro.

4. Fique de olho na legislação e no controle de sua PJ!

Para trabalhar em seu primeiro negócio, você vai precisar abrir um CNPJ para o funcionamento da sua clínica. Por isso, precisará de um contador para auxiliá-lo. Lembre-se que, a cada nota fiscal emitida, uma porcentagem será paga de impostos ao Estado. Mesmo que o seu paciente apenas peça um recibo, esteja ciente de que poderá utilizar isso para a declaração de Imposto de Renda. Portanto, tudo o que você tiver de entrada precisa ser controlado, para evitar problemas financeiros no futuro, como por exemplo, cair na “malha fina”!

Além desse quesito de regulamentação de cadastro de pessoa jurídica, tenha também uma conta bancária específica para o consultório. Organize bem seus gastos de pessoa física separados do que é pessoa jurídica. Isso o ajudará a fazer uma boa gestão dos recursos e evitar se perder no controle de gastos e da receita gerada pelo seu consultório. Um recurso interessante para manter esse tipo de controle é ter um ERP, ou seja, um software de gestão de microempresa. Ali você pode, inclusive, ter uma área para cadastro de seus pacientes que poderá utilizar para ações de marketing!

Por fim, esteja também bastante atento às regras sanitárias para o bom funcionamento de seu consultório odontológico. Procure conhecer os itens que são exigidos pela Vigilância Sanitária e pelo Corpo de Bombeiros de sua cidade. Esteja atento às taxas que precisa arcar para obter o alvará de funcionamento na prefeitura e que demais procedimento serão necessários.

Gostou deste artigo sobre detalhes necessários para alugar uma sala comercial para montar seu consultório odontológico? Lembre-se que o planejamento é a palavra essencial nessa hora!

Compartilhe esse post nas suas redes sociais para que mais pessoas encontrem essas dicas!

Fique por dentro das novidades

Cupons de desconto, novidades e muito mais